A outra face do covid

2020 será para sempre recordado como “O Ano da Pandemia”, mas será que este ano se resume a apenas isso? Terá 2020 sido apenas um ano mau? Não, a verdade é que, apesar dos desafios que a pandemia nos coloca e colocou, também conseguimos algumas conquistas. Estás preparado para descobrir quais foram?

Logo no decorrer da pandemia verificaram-se duas conquistas: os recursos naturais para 2020 esgotaram-se mais tarde do que em 2019 e verificou-se uma diminuição da poluição.

Estas duas conquistas não se devem a nós, mas servem de alerta para a importância de tomarmos conta da nossa casa comum e começarmos a alterar os nossos habitos de consumo e adotarmos comportamentos mais sustentáveis. Estes dois acontecimentos culminam numa diminuição de 9,3% da nossa pegada ecológica devido à redução da procura de madeira e das emissões de dióxido de carbono.

Ademais, a redução das emissões de gases como o dióxido de nitrogênio ou de carbono, permitiram-nos evitar 11mil mortes. Estas substâncias são tóxicas e, por conseguinte, fragilizam o nosso sistema cardiorrespiratório, levando a que 7milhões de pessoas morram todos os anos. Os cidadãos chineses são aqueles que mais sofrem as consequências da poluição e, por isso, foram uns dos maiores beneficiários desta redução. A diminuição da poluição, acompanhada pelas medidas de isolamento, permitiram salvar entre 50 e 77 mil chineses.

Mas não foi só o ambiente que beneficiou com a pandemia. Nós, ao sermos confrontados com o isolamento e com as nossas vidas viradas ao contrário, trouxemos o nosso lado mais solidário ao de cima. Começamos a sair às nossas varandas para aplaudir aqueles que lutavam, e lutam, na linha da frente contra a pandemia. Saímos, mais uma vez, às varandas para mesmo longe estar junto e cantarmos. Ajudamos os mais vulneráveis ao oferecermo-nos para lhes levar bens essenciais como comida ou medicação. Novos modelos de negócio surgiram, pessoas começaram a criar e oferecer máscaras sociais, empresas começaram a produzir álcool em gel. 

Ao mesmo tempo, não podemos ignorar todas as conquistas que minorias ou pessoas mais vulneráveis conseguiram alcançar. As marchas em prol de “Black Lives Matter” demonstraram a revolta de todas as pessoas ao redor do mundo face ao abuso de poder da polícia perante as pessoas negras. Pessoas cuja única diferença é a cor da pele. Um pequeno passo foi dado no sentido de desconstruir vários pensamentos e estereótipos que foram sendo passados de geração em geração e que colocaram outras raças num patamar inferior face aos ditos “brancos”.

Outra minoria que viu mais um passo a ser dado em direção à aceitação foi a comunidade LGBTQ+ com o Supremo Tribunal dos EUA a considerar a discriminação no emprego contra homossexuais e transexuais um crime, assim como, que as pessoas transexuais se encontram protegidas contra a discriminação sexual.

Outra vitória para esta comunidade ocorreu na Costa Rica, quando esta decidiu tornar-se o primeiro país da América Central a legalizar o casamento entre homossexuais. Esta decisão foi marcada pela transmissão em direto da primeira união civil entre pessoas homossexuais.

Por fim, outra vitória que já marcou este ano foi a erradicação do vírus da poliomielite do continente africado. A luta para a imunização face a este vírus começou em 1996 e, desde então, foi possível impedir que 180mil crianças morressem e que cerca de 1,8milhões sofressem de paralisia para toda a vida.

Estas foram algumas das nossas conquistas em 2020, mas o ano ainda não acabou. Ainda temos muitas mais conquistas para alcançar e muitos mais passos para dar em prol da aceitação, da justiça, da tolerância e da igualdade. E tu? Como vais contribuir? Descobre algumas experiências de voluntariado para conquistarmos um mundo melhor em: aiesec/global-volunteer.

Comentários

comentários