O Pantanal está a arder!

O Pantanal mato-grossence, no Brasil, considerado a maior zona húmida do planeta, está a arder há mais de 40 dias, colocando em perigo várias espécies animais e toda a biodiversidade que existe na região.

Com base nas investigações realizadas no local foi possível apurar que a causa dos fogos que provocaram a destruição de cerca de 1,7 milhões de hectares foi humana, quer intencional, quer acidental, à qual acrescem o calor e vegetação seca como potencializadores do aparecimento de novos focos de incêndio.

As repercussões destes incêndios são diversas, desde a perda de fauna e flora até a impactos na saúde e economia. A economia da região é fortemente dependente do turismo. E, segundo estudos realizados com o intuito de analisar o efeito dos incêndios na saúde, as queimadas aumentam o risco de problemas respiratórios em 36%. Simultaneamente, verificou-se um aumento dos internamentos infantis cinco vezes superiores ao esperado devido à existência dos resíduos tóxicos gerados pelos incêndios na água que é consumida.

A estes cenários e números, junta-se a perda de cerca de 10,3% da vegetação, tendo-se registando o maior número de incêndios neste bioma desde 1998 no mês de Jullho.

Adicionalmente, de todas as espécies animais em risco destaca-se a arara-azul, uma espécie em extinção cujo maior refúgio mundial se encontra no pantanal, correspondendo a 25 mil hectares. Deste refúgio de araras já mais de 70% ardeu, colocando em risco as 700 araras-azuis que lá se encontram. Estima-se que existam apenas 6500 araras-azuis no momento, número que pode ser diminuído devido a este cenário.

Claramente, estes incêndios colocam em risco a vida de várias espécies animais e vegetais, colocando em causa a biodiversidade da região e o processo de recuperação da mesma pode levar décadas.

Nós, enquanto jovens temos a possibilidade de agir e tomar uma ação para que esta situação não se repita. É cada vez mais importante consciencializar as pessoas à nossa volta para a prevenção do nosso planeta e para a proteção da nossa biodiversidade. 

Enquanto jovens temos o dever de garantir que as pessoas estão informadas acerca dos cuidados que devem ter quando estão a fazer queimadas e, acima de tudo, que não há um planeta B e os recursos de que dispomos atualmente não são infinitos.

É neste sentido que a ONU definiu a Vida na Terra como um dos seus objetivos de desenvolvimento sustentável a cumprir até 2030, levando ao aparecimento do SDG15 – Life on Land.

E como é que tu podes contribuir para este objetivo? O simples facto de consciencializares as pessoas ao redor já é um  grande contributo para a sobrevivência do nosso planeta, pois as pessoas terão mais consciência sobre as consequências do seus atos.

Ao mesmo tempo, podes descobrir e desenvolver o líder que há em ti enquanto contribuis para este Objetivo de Desenvolvimento Sustentável em qualquer um dos vários projetos de voluntariado da AIESEC.

É o teu momento de agir, o mundo precisa deste teu pequeno passo para que todos continuemos a ter um planeta para viver… Se ficaste curioso, podes descobrir mais em aiesec.org.

Comentários

comentários